terça-feira, 20 de abril de 2010

Desafio Literário - Abril

O Jogo da Amarelinha, de Julio Cortázar

O título é perfeito! Os acasos, o destino, os encontros de tantos perdidos em Paris, ou Buenos Aires. O livro é um labirinto literário, não se sabe ao certo onde cada capítulo vai dar. Pra começar você escolhe de que forma irá fazer a sua leitura: a normal, do início ao capítulo 56, ou a forma aleatória sugerida pelo escritor, passando por todos os capítulos, ou quem sabe ainda a SUA PRÓPRIA sequência de capítulos. Isso mesmo, Cortázar deixou a leitura a cargo do destino...
De qualquer modo o autor nos leva a caminhar juntamente com os personagens e seus dilemas, e principalmente a compartilhar da falta de esperança de Oliveira. É através dele que Cortázar nos brinda com um triângulo amoroso que se repete (uma vez? Infinitas vezes?) mas nunca se completa.
É um livro de difícil leitura, porém apaixonante. Mesmo quebrando continuamente o ritmo da narrativa o autor consegue criar um clima de "suspense" com momentos de grande carga emocional. Os personagens são extremamente existencialistas - mesmos os menos (pseudo) intelectuais conseguem chegar em brilhantes conclusões, de certa forma contrastanto e completando os pensamentos gerados durante o capítulo em questão.
E as frases.... aaaaahhhhh.... as frases..... me - mo - rá - veeeeeis! Dá uma bisoiada nesta pérola:

Você me olha, de perto me olha, cada vez mais de perto, e então brincamos de cíclope, olhamo-nos cada vez mais de perto e nossos olhos se tornam maiores, se aproximam uns dos outros, sobrepõem-se, e os cíclopes se olham, respirando confundidos, as bocas encontram-se e lutam debilmente, mordendo-se com os lábios, apoiando ligeiramente a língua nos dentes, brincando nas suas cavernas, onde um ar pesado vai e vem com um perfume antigo e um grande silêncio. Então, as minhas mãos procuram afogar-se no seu cabelo, acariciar lentamente a profundidade do seu cabelo, enquanto nos beijamos como se tivéssemos a boca cheia de flores ou de peixes, de movimentos vivos, de fragância obscura. E se nos mordemos, a dor é doce; e se nos afogamos num breve e terrível absorver simultâneo de fôlego, essa instantânea morte é bela. E já existe uma só saliva e um só sabor de fruta madura, e eu sinto você tremular contra mim, como uma lua na água.

Ui (orgasmo cerebral, sentiu?)

Esse livro foi editado em 1.963. Imagino que deve ter feito muito barulho.... muito bem construído, é impressionante.

Obs: Vocês viram como eu consigo fazer uma resenha séria? Viram? Viraaaam????

10 comentários:

  1. aaaaaaaaaaaaahhhhhhhhhhhh, nao creio que vc leu esse livro.

    esse livro é hiper procurado nas livrarias (pelo menos a que eu trabalha rs). acabei comprando-o rs. mas ainda nao li, mas fico namorando ele quase todos os dias. Muito bem recomendado pelos clientes que peguei e com sua resenha deu mais agua na boca do que ja tinha rs.

    parabens pela resenha

    ResponderExcluir
  2. resenha daquelas que deixa quem lê com água na boca, iei!

    ResponderExcluir
  3. Nossa adorei sua escolha para o Desafio !
    Já anotei a dica aqui.
    Beijos
    Luka.

    ResponderExcluir
  4. Adorei sua resenha! Nunca ouvi falar mas fica a dica, com certeza. Parece ser ótimo!

    ResponderExcluir
  5. Oooo que resenha tri ahuahuahua...
    Livro bem interessante, nunca nem tinha ouvido falar OO mas me bateu a curiosidade em ler..
    XD

    ResponderExcluir
  6. Boa resenha, vou anotar a dica.

    ResponderExcluir
  7. Nao conheco o livro nem o autor, mas sua resenha e' muito boa. Vou anotar na minha lista, fiquei curiosa!!! Boa escolha, beijos

    ResponderExcluir
  8. Adorei a escolha, muito diferente dos demais livros do mês, adoro achar estes títulos que eu nunca ouvi falar e já fico doida para ler rs

    bjoo

    ResponderExcluir
  9. Orgasmo cerebral mesmo! Que que isso, né? De babar. Minha está lendo outro dele e cada trechinho que ela cita é de arrepiar os pêlos da nuca. Ficamos com vontade de comprar O jogo da amarelinha que é um clássico.

    Beijocas

    ResponderExcluir
  10. Não, por favor, não posso ler esta resenha! É tortura psicológica pois eu estava doida para lê-lo para o Desafio. rs

    Bom, era para ser o livro oficial mas acabei por não conseguir o meu exemplar das mãos de quem emprestei (e olha que eu mesma nem tinha lido o danado antes de emprestá-lo!). rs

    Mas o importante é que por sua crítica percebi que vou realmente gostar desta leitura (assim que consegui-lo de volta!) pois, se o livro dá voltas, sua resenha ao contrário, foi direto ao ponto: o livro é bom e tratem-no com respeito! rs

    Adorei seu cantinho e seu texto. Voltarei sempre que der, Dani!

    Grande abraço e até mais!

    ResponderExcluir