quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Mais um livro devorado!

Para o desafio de Setembro a meta era a leitura de um romance histórico. Deveras agradável! Gosto de romances históricos... geralmente são livros fofos.

Escolhi O físico, do Noah Gordon. Não sei porque enfiei na minha cabeça que era um lançamento recente e fiquei um pouco chocada ao ver que na verdade a 1a edição dessa estória foi em 1.986! Se ainda reeditam, sinal que o livro é do bom. Pelo menos vende bem... hehehehe....

Segundo choque com o dito cujo: o título original em inglês é "The physician". Quando eu era uma criancinha meiga pura e besta aprendi que physician = médico. E a tradução em português ficou como... O físico! Ai ai ai....

Terceiro e último choque: tenho a nítida impressão de que esta edição não passou por um revisor... váaaaaarios erros de ortografia e digitação!

But it's ok. O livro é bom. A estória é longa. Difícil de carregar... mas eu não larguei! Foi uma semana acompanhando o protagonista de lá pra cá, de cá pra lá.
Robert J Cole é um molequinho da Inglaterra, que era um lugar bem sujo e pobre, pelo jeito. Os pais de vida sofrida e prole numerosa logo morrem e a família é dividida pela doação dos orfãos. Rob ainda é pequeno para o trabalho, mas grande o suficiente pra "comer demais e dar preju" então não consegue uma família que o adote.

Mas ele é bem esperto e acaba sendo adotado por um barbeiro-cirurgião - profissão bem comum na época. O cara fazia umas apresentações de malabarismo, contava umas estorinhas e atendia o povo doente vendendo um tônico milagroso - que era basicamente cachaça com algumas especiarias.

O barbeiro cuida bem dele e Rob cresce forte e aprende todos os truques da pseudo-profissão. Vivem bem assim, viajando, vendendo tônicos e atendendo mal e porcamente alguns doentes.
Mas nas andanças Rob acaba conhecendo um judeu médico de verdade. Rob também quer ser um médico de verdade!

Quando o barbeiro morre ele vai atrás desse desejo. Descobre onde fica a melhor escola de medicina "do mundo" (na Pérsia!) e vai pra lá estudar com o maior médico do Oriente. Puta viagem complicada. Mas no caminho ele conhece a mulher que será sua esposa. Romântico, hein?

Bom, Rob é cristão e nunca conseguiria entrar nessa escola que fica em solo mulçumano. Ele, muito esperto, tem a brilhante idéia de fingir que é judeu. Numa das caravanas que ele fez parte se aproximou de um grupo de judeus e foi aprendendo os trejeitos, a língua, os costumes.

Quando finalmente chega na Pérsia, ele já é Jesse ben Benjamin. Cool.

Bom people, o livro tem quase 600 páginas, não vou dar conta de tudo o que o cara aprontou. Mas se eu fosse vocês, dava uma chance para o físico que na verdade é o médico!

6 comentários:

  1. Dani, eu simplesmente amo esse livro e acompanhei a saga toda dos Cole. Li o Xamã e A Escolha da Dr. Cole, todos livros que dão seguimento a história da família em que de geração em geração, aparece um membro com o dom de cura. É a própria história da medicina em seus primórdios. Gosto demais!
    Menina, 1986 foi outro dia...

    ResponderExcluir
  2. Ahahaha... foi nada Adri! 1986 foi há mais de 10 anos... como o tempo pássa!
    Que ótimo a sua resposta, não sabia que havia outros livros sobre o Rob Cole e familia, vou procurar ler os outros títulos tambem!
    Beijos e obrigada!

    ResponderExcluir
  3. Eu tenho paixão absoluta por esse livro! O Xamã também é bom, mas não chega ao nível do Físico. Acho maravilhoso!!!

    ResponderExcluir
  4. Gente, tenho que colocá-lo na minha agenda de leitura. Desde de 1986 que namoro a chance de ler esse livro. Não sei porque não rola...rs
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Inédito pra mim!!!
    Dica anotada! Thanks!

    ResponderExcluir